Borboleteando...

. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
A vontade impulsiva de escrever e depois de ver tantos blogs interessantes me levou a criar um também... como borboleta, vou borboleteando por aí, sem saber onde isso vai dar nem onde irei parar... Bons vôos... εïз~*~

. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .

segunda-feira, 9 de junho de 2008

Não há Vagas

NÃO HÁ VAGAS
O preço do feijão
não cabe no poema.
O preçodo arroz
não cabe no poema.
Não cabem no poema o gás
a luz o telefone
a sonegaçãodo leite
da carne
do açúcar
do pão
O funcionário público
não cabe no poema
com seu salário de fome
sua vida fechada
em arquivos.
Como não cabe no poema
o operário
que esmerila seu dia de aço
e carvão
nas oficinas escuras
- porque o poema, senhores,
está fechado:
"não há vagas"
Só cabe no poema
o homem sem estômago
a mulher de nuvens
a fruta sem preço
O poema, senhores,
não fede
nem cheira
Ferreira Gullar

Se tem uma coisa que me tira completamente do sério, é ver injustiça. Tenha ela a proporção que tiver e seja cometida contra quem for. Desde as balinhas dadas como troco na padaria (será que eles aceitariam que eu pagasse o pão em balas também?), até a roubalheira que fazem com o dinheiro público; dinheiro pago, através de impostos, com o sacrifício daqueles que trabalham de verdade, que fazem hora extra pra poder comprar o leite além do pão, daqueles que lotam as enfermarias dos hospitais, dos que correm apressados para não perder a condução, dos pontos batidos todos os dias...

Fico p... quando vejo crianças e idosos sendo desrespeitados ( e nem é só nas filas dos bancos e hospitais, mas dentro de casa e pela própria família). E os primeiros que deveriam ler (e praticar) o Estatuto da Criança e do Adolescente e o Estatuto do Idoso eram os senhores governantes.

Vejo por aí muitas pessoas-lagartas ainda arrastando-se pelo chão, com uma visão rasteira do mundo e das coisas que os cercam... vejo pseudo-borboletas, voando raso, acreditando que sabem de tudo e que já contribuíram com sua parcela, fingindo desperceber que muito ainda há pra se fazer!

Urge que apareçam mais pessoas-borboletas, que, após terem lutado para se libertar do casulo, batam suas asas e voem longe, que tenham uma visão global do viver e que trabalhem para que as distâncias que separam os marginais sejam cada vez mais dirimidas!

Pensamentinho de Cabeceira:

Uma parte de mim

pesa, pondera:

outra parte

delira.

(Ferreira Gullar)

25 comentários:

Elvis disse...

ta add

viu coloque uma caixa de recados ai


nesse site aqui tem http://www.cbox.ws/

espero q de certo nossa parceria ;)

LUCAS DE OLIVEIRA disse...

sabe o que falta neste seu poema?
a falta de amor ao próximo!

gostei muito do seu blog!

abçs

http://www.lucasjdeoliveira.blogspot.com/

Cassinha disse...

Obrigada pelo comentário...
no próximo post tem o q houve depois...
Bjos!

Cassinha disse...

Aguarde... logo, logo chega a resposta hahahahahaha

Marcos Rossato disse...

Adorei a frase do Ferreira Gullar é algo que simplesmente acontece sempre em nossas vidas, ficamos entre a sensatez e o delirio...

Ah eu add seu link como voce me pediu e obrigado por add o meu ae espero que nossa parceria renda bons frutos ;)

nao deixe de visitar
http://rossatovariedades.blogspot.com/

Fernanda Pereira disse...

Adooooro Ferreira Gular, e adorei seu blog. Sabe, ainda não me sinto borboleta...acho que ainda estou na fase final de lagarta...já já minhas asas ficam prontas...Beijos

wellington souza disse...

moça muito bom poema...
mas falta uma coisa...



mas mesmo assim foi otimo

parabens

http://osinfelizes.zip.net/

slim shady disse...

o poema começou muito bem,mas parece que no final faltou "algo" .mas continue,não desanime não.

abraço !

O Blogueiro disse...

BOm Dia!!!!

Gostei do Poema, não cabe esses alimentos no poema por causa da inflação....rsrsrs

brincadeira!!

seu link ja ta la no blog, quando puder passa lá!!

Boa sorte com seu blog!!


visite:


Mijei de Rir - Alegria e diversão!

Everaldo Ygor disse...

Olá...
Uma ótima citação de Ferreira Gullar...
Um poema para os conturbados dias de hoje e de amanhã...
Abraços
Everaldo Ygor
Visite:
http://outrasandancas.blogspot.com/

UNDERGROUND. disse...

Gostei demais do post!!!

Mas não adianta fica só no discurso contra as injustiças...temos que agir para tentar pelo menos diminuí-las!

=D

*Lusinha* disse...

Também acho um absurdo pagarmos os nossos impostos, sermos pessoas direitas (eu não disse perfeitas) e ainda recebermos e vermos injustiça em troca.
É revoltante!
Bjitos!

Cleiton Kamikaze disse...

qualquer tipo de injustiça tbm me tira do sério....
discriminaçao, violencia...
eu acho que o nosso pais é feito de injustiças..

Gelsa Mara disse...

Pelo nome do seu blog nota-se q vc gosta de borboletas...rsrrsrs
q bom q vc gostou do meu blog, volte mais vezes, tem uns contos interessantes tb.

Gelsa Mara disse...

Link feito!!!

Leandro Munis disse...

Borboletinha, relaxa!

Isso sempre existiu e infelizmente sempre vai existir.

O ser humano pensa pra dentro e se envolve numa entropia que o engole, tirando a visão sobre a verdadeira realidade que o cerca.

Cheio de preconceitos e "achismos", tudo leva ao desrespeito.

Identifique o problema mas não se envolva com ele, assim voc^^e não vai perder suas energias tão preciosas.

Beijos de um morcego! (lol)

http://28onze82.blogspot.com/

Lovelace disse...

Falta no seu poema um:
"Puta q PAriu!"
acho q ia dar mta ênfase...
ahuahiuahis

Mickey disse...

Poh fala não, nesse Brasil que vivemos, falta pouco pra um começar a passar por cima do outro....apesar que já temos alguns ai né. Como nosso colega Lucas de Oliveira sabe o que falta neste seu poema?
a falta de amor ao próximo!

parabéns pelo poema...




http://sonacachaca.com

B. disse...

Ferreira Gullar é mesmo sensacional! Vi aqui que você postou uma parte de "O caçador de pipas", e nossa, sou apaixonada por esse livro, estou esperando ter tempo pra ver o filme, haha!

Te linkei aqui também.

E sobre essas diferenças, o maior problema de todos, é que incomoda à todos, e ninguém faz nada. Eu li um artigo que dizia que o que faz um país não são seus anos, nem sua riqueza, forma de colonização, etc, mas sim a cabeça do povo em que vive nele, se eles fazem ou não algo para mudar o país em que vivem, essa é a diferença!

Beijo!

Erika CastrO disse...

Aaaaadorei seu blog!menina,vce ta de parabéns!Destesto injustiças também!
Depois tu passa lá no meu,ok?!

Beijão,fica com Deus!
http://chuteiradesaltoalto.blogspot.com/

• A l i n e x) disse...

Oi :)
Obrigada pela visita *-* E pode linkar sim, eu estou planejando uma versão nova, ai já te incluo nos meus links :D

Adorei o que você escreveu, eu queria ser bem mais borboleta! Mas nem sempre é possível :x

Beeijos, parabéns pelo Blog!

AcidStorm disse...

Isso que é pátria! A das injustiças...


Um abraço e uma ótima semana

Dannys disse...

Também fico indignado quando vejo o descaso de nossa sociedade com relação aos mais idosos!!! axo que ninguém para pra pensar que um dia também vai envelhecer e estará a mercer da futura geração!!!

Vamos amar aqule que é o nosso próximOooo

Passa lá: Reflexxando.blogspot.com

Letícia Castro disse...

Eu tb tenho essa sede de justiça, é algo imprescindível no caráter do ser humano. Que bom que vc é assim tb.
Venha conhecer a gente tb, tá bom?
Beijo!
Letícia.
http://babelpontocom.blogspot.com

Tcharllys disse...

Se todos pensassem um pouco mais no próximo não haveria injustiça.

O problema é que vivemos num mundo cada dia mais individualista onde as pessoas pensam que salvando a própria pele já esta bom demais.

Belo poema e belo post. Parabéns