Borboleteando...

. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
A vontade impulsiva de escrever e depois de ver tantos blogs interessantes me levou a criar um também... como borboleta, vou borboleteando por aí, sem saber onde isso vai dar nem onde irei parar... Bons vôos... εïз~*~

. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .

domingo, 15 de junho de 2008

Domingo na praça

A Grande Borboleta

Caetano Veloso
Composição: Caetano Veloso


A grande borboleta
Leve numa asa a lua
E o sol na outra
E entre as duas a seta
A grande borboleta
Seja completa-Mente solta

É sempre muito bom dar uma caminhada, num final de tarde com o vento soprando pra levar a tristeza ou sei lá o quê ruim pra bem longe daqui. Assim o fiz. E caminhando, dei numa praça. Até então, na minha cabeça, praça em dia de domingo a tarde era reduto de velhinhos, sentadinhos, dando milho aos pombos e falando do tempo em que eram jovens e iam "flertar " com as jovens senhoritas, atrás da Coluna da Hora.

Decidi sentar num banco pra ver o que ia acontecer, torcendo pra algum velhinho fofinho sentar lá perto e puxar uma conversinha animada! Adoro as histórias que essas pessoas sempre têm pra contar. Mas, nenhum deles apareceu (ué! o que danado os velhinhos fofinhos tanto faziam num domingo a tarde, que não estavam lá na praça?)...

Logo me entreti com outra coisa: umas crianças, descalças, cambalhoteavam na grama, numa felicidade sem fim! As gargalhadas corriam frouxas, as cambalhotas viraram pega-pega, que virou esconde-esconde, que virou futebol de chinelo, que virou cambalhota outra vez. Me peguei querendo ser um daqueles meninos, despreocupados, felizes, cuja maior preocupação devia ser qual seria a brincadeira da vez...

Num suspiro, olhei pra outro lado e vi duas moças enamoradas, conversando, sorrindo, segurando a mão... nem aí pro que podiam achar, pensar, falar. Naquele instante o que tava valendo pra elas era o sentimento e era algo bonito de se ver. Logo mais à frente tinha um outro casal, um rapaz que, entre um beijo e outro, também sorria feliz para sua amada e conversavam amenidades, e afagava seu cabelo, e se abraçavam contentes, nem aí pro resto da humanidade. Confesso que deu saudade, queria ser eu a estar ali abraçando, segurando a mão, trocando olhares, sorrisos e juras de amor...

Aí sim, vi os velhinhos que acabavam de chegar e já começaram logo um jogo de dominó. Percebi então que as histórias que eles porventura me contariam ia ter que ficar pra outra vez, pois aquele jogo prometia e as apostas de amendoim já estavam sendo feitas! Ai de mim se atrapalhasse, afinal, uma partida de dominó, num domingo à tardinha na praça era mais sério do que um FlaxFlu, meu bem! Aí eu quis ser um velhinho daqueles, com amigos de uma vida, cheio de histórias pra contar e com muitas partidinhas de dominó pela frente...

Levantei pra dar uma voltinha e parei perto da fonte. Fiquei imaginando quanta coisa a fonte já presenciara ali. Quantas moedas jogadas em troca de um desejo, quantas juras de amor feitas ali e quantas lágrimas misturadas Às suas águas por conta de um coração partido. Quis ser aquela fonte, tão companheira, tão cúmplice, tão guardadora de segredos...

Outro suspiro. Mãos nos bolsos. Passos despreocupados. Foi assim que voltei pra casa. Meio desolada por não ser a criança, nem a namorada, tampouco o velhinho e muito menos a fonte. Tive que ser eu mesma. Mas retornei até contente, percebi que a praça, num domingo à tardinha, além de velhinhos, também é lugar de crianças, namoradas, namorados, fonte e de uma boa história pra contar!



24 comentários:

Leonardo luiz lino disse...

Gostei do post,continua postando..
me visite:
>> http://topzet.com

Victor Moraes, disse...

será que alguém, em algum lugar ali, também não olhou pra menina sozinha sentada e pensou que poderia ser ela?
ou se os velhinhos não se sentaram um dia ali e pensaram a mesma coisa de outros velhinhos.
Ou se as crianças quando crescerem não se sentarão ali pra relembrar o que fizeram nessa tarde de domingo.
Já os casais, talvez tivessem que ter passado por ali antes - antes de serem casais.
vai ver é essa sua sorte!



ótimo blog! ^^

Guilherme Amado disse...

Gostei do post,continua postando..
me visite:
http://textosetc.blogspot.com

Giuh disse...

muito bom o texto,eu também adoro escutar os "velhinhos" contarem suas histórias, são interessantes.

se a gente quer em uma tarde simples nós podemos ver tanta vida, tem muita gente que passa e nem se quer nota nada.


http://sorrisosdeplasticos.blogspot.com/

Conto atômico & cômico disse...

sério isso? cara, to sem palavras!
hahaah1
ótimo que tu gostou!
foi escrito de coração mesmo..
:)

tu escreve muito bem também, adorei o texto!

Xandy disse...

Show seu Blog
parabêns!!!!

Visite-me


www.enloucrescendo-xandy.blogspot.com

__((::_Perfect Girl_::))__ disse...

Oi... to passando aqui... realmente caminhar é muito bom...

Sabe esses dias eu sai (embora nao tinha fonte nem nada) mas me fez um bem danado... é incrivel como essas coisas tem o poder de nos fazerem pensar em nós e até mesmo em pessoas que nem mesmo conhecemos...

Tantas momentos aquela fonte presenciou, momentos bons e ruins....
queria ser ela por alguns dias...

^^

Bom... acho que é isso...

qdo der passa la no meu blog, tem post novinho em folha....

BEIJOS

Pedro Pyratero disse...

\não entendie?
sou burro mesmo 0.O

http://pedropyratero.blogspot.com/

desuairma disse...

Gostei tanto desse texto. Mas bem,
já parou para pensar no que as pessoas de hoje pensaram sobre você?

Eu acho que a partir deste texto, seria ótimo se você conseguisse fazer um auto-retrato seu, o seu ponto de vista da sua pessoa, falando coisas boas e ruins, qualidades e defeitos. Não algo que seja exposto pela internet, mas sim, que você escreva e possa ler, e entender o que é ser você mesmo.

Eu já fiz isso, e me senti aliviada de saber como eu sou aos olhos de muitos.


Beijos!

Kaah* disse...

Aquii é muito interessante amei seu blog

se naum for muito incomodo vai lá no meu

http://dicasdakaah.blogspot.com/

bjus

Grilo Pensante disse...

Que lindo...
Além de tudo...A praça, num domingo a tarde, é um lugar de vida.

Presente nos velhinhos, nos casais apaixonados. A vida que nos cerca e que nos alimenta de esperança...

Sempre passando por aqui...rs

passa lah no meu tb ;)
beijos



http://felipepensador.blogspot.com/

*Bri disse...

amei o blog!! Da uma passadinha n meu?


wwww.ideias-loucas.blogspot.com
Não liga não ta....estou começando com o blog! :D

Daniely disse...

rs...ter de ser a gente mesmo às vezes dói...pena aqui não uma pracinha e um cenário tão lindo pra descrever...


p.s:cuidado!medo de amar é perigoso...rs

Milla disse...

Sabe que estou adorando seus textos! rs...
Eu costumava fazer isso, andar pela praça, dar umas voltas no bosque ou no parque ecológico, só pra ver qual seria a história que eu carregaria para casa, porque numa simples caminhada, pra quem sabe dar valor às coisas simples da vida, muita coisa pode acontecer! Muitas lições levamos para casa...
Tanta gente precisa sofrer pra aprender, mas não sabem que é apenas observar e "filosofar" um pouco, que voltamos com o bolso cheio de ouro pra casa! ;)*

É raro encontrar alguém que ainda saiba encontrar diamantes nas flores... Vc parece mesmo uma borboletinha... hehe

Bjs!!

*¨*Ellaehcarioca*¨* disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Marilyn disse...

Oi, Sammyra!
Muito obrigada pelas palavras! ;)
É claro que pode linkar!
Volte sempre que quiser.
Beijo

*¨*Ellaehcarioca*¨* disse...

Cada um sabe a dor e a delícia de ser o que é..." Você deve conhecer essa música.. Assim como você durante alguns momentos desejou ser um deles,alguém já deve ter desejado estar no seu lugar.
Realmente,essas voltinhas que a gente dá,às vezes tão perto, parecendo tão sem importância,são um aprendizado e tanto,né?!Acho que é mais fácil tirarmos lições das pequenas coisas coisas do que das grandes.Elas estão aqui a todo tempo.
Seu modo de ver as coisas é que é mais interessante.E cativante também.
Sucesso aí com o novo blog.Gostei muito.Volto mais vezs!
Ah e obrigada pela sua visita,viu?!
bJS :)
Descubra a delícia de ser oq você é!

P.S. Tem um prêmio pro seu blog lá na minha pág. Pra mim ele se encaixa nos 3 requisito do prêmio.bjs

Conquistadores (Didixy) disse...

MUito bom o post. E realmente escutar pessoas com mais experiência de vida é muito bom. Eu gosto pelo menos de saber das coisas do passado.
Demais.

blog disse...

O bom da narração é a conversa com um uposto leitor - que sou eu, agora.
Mande ver, menina. Narração singela, mas não piegas.

Só um toque: cuidado com a gramática.

Lu disse...

Oi Sammyra!

Obrigada por ter adicionado meu link. Fico feliz em saber que as pessoas tem gostado do meu trabalho.

Quando quiser faz uma visitinha para ver as novidades.

Luisa

*Lusinha* disse...

Nossa, acho que aqui em Sampa será muito difícil ver uma cena como essa...
Bjitos!

B. disse...

ah, eu adoro ouvir essas histórias também, esses senhores, além de muito elegantes, são um baú de informações! =)

Cássia Barbosa disse...

Samyra, acabei de postar nova parte da história...
passa lá depois.
Bjos!
http://porta-joias.blogspot.com/

India disse...

Oi...desculpe a demora da visita é que ando sempre correndo...aqui é tudo lindo...gostou da minha imagem???