Borboleteando...

. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
A vontade impulsiva de escrever e depois de ver tantos blogs interessantes me levou a criar um também... como borboleta, vou borboleteando por aí, sem saber onde isso vai dar nem onde irei parar... Bons vôos... εïз~*~

. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .

terça-feira, 27 de abril de 2010


Dois Rios
Nando Reis

O céu está no chão
O céu não cai do alto
É o claro, é a escuridão
O céu que toca o chão
E o céu que vai no alto
Dois lados deram as mãos
Como eu fiz também
Só pra poder conhecer
O que a voz da vida vem dizer
O sol é o pé e a mão
O sol é a mãe e o pai
Dissolve a escuridão
O sol se põe se vai
E após se pôr
O sol renasce no Japão
Eu vi também
Só pra poder entender
Na voz a vida ouvi dizer
Que os braços sentem
E os olhos vêem
Que os lábios sejam
Dois rios inteiros Sem direção
Que os braços sentem
E os olhos vêem
E os lábios beijam
Dois rios inteiros Sem direção
Que os braços sentem
E os olhos vêem
Que os lábios beijam
Dois rios inteiros
Sem direção E o meu lugar é esse
Ao lado seu, no corpo inteiro
Dou o meu lugar pois o seu lugar
É o meu amor primeiro
O dia e a noite as quatro estações

A sauDADE e a ansieDADE estão fazendo eco dentro de mim em busca da feliciDADE, DADE, DADE, DADE, DADE, DADE, DADE...

Pensamentinho de Cabeceira:
"Vamos passear de mãos dadas
Andar é muito bom pra quem quer ficar junto
Eu atravessei na frente
E ela viu que eu levo um pente
No bolso de trás
E se por acaso chover
Eu quero ver o seu cabelo molhado
Não há nada mais bonito
Do que o seu sorriso
E o frio que te faz me abraçar"
(Nando Reis faz sempre história na minha vida... fato!)

6 comentários:

Lis. disse...

Olá Sammyra...

Pensando sobre as atuações do sol, sobre a natureza, considerando a fidelidade que o nosso sistema terrestre nos oferece, lembrei-me que durante um bom tempo estive correspondendo-me via internet com diversos outros paises, entre eles a Russia e Japão, e em muitos momentos citei através de e-mails a seguinte expressão: Being friend is a quality. Ser amigo é uma qualidade, que uns tem e outros não. Ser amigo é como ser um bom pai ou uma boa mãe, ou um bom profissional naquilo que faz. É necessário dedicação, empenho, e se você for ver direito notará que as mais lindas declarações de amor estão contidas nas literaturas de amizade.

É até engraçado dizer que houve uma época em que estava estudando psicologia e minha irmã disse-me que se cada um de nós tivessemos um bom amigo não haveria nenhuma necessidade de psicólogo. E de fato, ser um bom amigo é poder ser genuíno, sem tendências de interesses, ser como o sol que não necessita aparecer todo dia para saber-mos que existe e que está a nosso favor, que nos acrescenta, é por nós, é fiel.

Somos amigos virtuais que estamos juntos, e não temos um perfil de cada rosto, não sentimos o perfume e as suas vibrações. Nós teclamos muitas e muitas vezes, com olhar firme no monitor, e a imaginação solta, na tentativa de visualizar uma moldura, uma face. Viajamos nos labirintos do infinito, através do tempo e do espaço, em busca de algo definitivo, ou mesmo na busca de um conforto, para aliviar nossos anseios, desabafar uma mágoa contida, ou trocar juras de amor.

Tenho recebido dezenas de mensagens, ensinamentos. Recebo beijos e abraços, compartilho pensamentos de pessoas que estão distantes, e nem ao menos sabe-se
exatamente de onde são, de quem se trata, qual é a sua cor, religião. Muitas vezes, esquecemos-nos, dos amigos reais, para ficar horas e horas com os virtuais. Numa concessão de mistérios, onde cada um, tenta desvendar nas entrelinhas, todo o histórico dos amigos sem rosto.

Entretanto como lhe afirmei no início, ser amigo é uma qualidade, que uns tem e outros não, mas que também existe a possibilidade de se prender a ser.

PROCURA-SE UM AMIGO.

Não precisa ser homem, basta ser humano, basta ter sentimento, basta ter coração. Precisa saber falar e calar, sobretudo saber ouvir. Tem que gostar de poesia, da madrugada, de pássaros, de sol, da lua, do canto dos ventos e das canções da brisa. Deve ter amor, um grande amor por alguém, ou então sentir falta de não ter esse amor. Deve amar o próximo e respeitar a dor que os passantes levam consigo. Deve guardar segredo sem se sacrificar. Não é preciso que seja de primeira mão, nem é imprescindível que seja de segunda mão. Pode já ter sido enganado, pois todos os amigos são enganados. Não é preciso que seja puro, nem que seja de todos impuro, mas não deve ser vulgar. Deve ter um ideal e medo de perdê-lo e, no caso de assim não ser, deve sentir o grande vácuo que isso deixa. Tem que ter ressonâncias humanas, seu principal objetivo deve ser o de amigo. Deve sentir pena das pessoas tristes e compreender o imenso vazio dos solitários.

Deve gostar de crianças e lastimar as que não puderam nascer. Procura-se um amigo para gostar dos mesmos gostos, que se comova quando chamado de amigo. Que saiba conversar de coisas simples, de orvalhos, de grandes chuvas e das recordações da infância. Precisa-se de uma amigo para não enlouquecer, para contar o que se viu de belo e triste durante o dia, dos anseios e das realizações, dos sonhos e da realidade. Deve gostar de ruas desertas, de poças de água e de caminhos molhados, de beira de estrada, de mato depois da chuva, de se deitar no capim.

Precisa-se de um amigo que diga que vale a pena viver, não porque a vida é bela, mas por que já se tem um amigo.

Precisa-se de um amigo para se parar de chorar. Para não viver debruçado no passado em busca de memórias perdidas. Que bata nos ombros sorrindo e chorando, mas que nos chame de amigo, para ter-se a consciência de que ainda se vive.

Vinícius de Moraes.


Um bom percurso de semana pra ti.

Babi Mello disse...

Sammyra essa musica do Nando é linda e a felicidades todos nós a buscamos intensamente e é claro que quem não a quer, mas ela é tão dificil de se alcançar às vezes.
bj e aparece lá no Percepções.

B; disse...

Nando Reis nunca decepciona!

JIME disse...

"A felicidade é como a gota
De orvalho numa pétala de flor
Brilha tranqüila
Depois de leve oscila
E cai como uma lágrima de amor."

Oi Sam, nunca tive a curiosidade de abraçar uma árvore.
Será que é gostoso? Rsrsrs...
Beijãooooo!!!

Felipe disse...

Oi, Sammyra. Estou esperando sua visita aos meus blogs.Já tenho vc no meu orkut, que tal ganhar mais dois links na blogosfera? Um grande abraço!!! Ah! Quando vier a Nova Olinda nos faça uma visita!

Manu Preta; disse...

Aquele ruivinho é um cara do caralho!
E bem... que os ecos soem mundo a fora e que a felicidade bata em sua porta com tanta força que chegue a arrombá-la.
ah, e oi fofo lembrar do seu blog vendo a borboleta :)
beiijo=*