Borboleteando...

. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
A vontade impulsiva de escrever e depois de ver tantos blogs interessantes me levou a criar um também... como borboleta, vou borboleteando por aí, sem saber onde isso vai dar nem onde irei parar... Bons vôos... εïз~*~

. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .

segunda-feira, 3 de maio de 2010

Acredito na Rapaziada
Gonzaguinha

Eu acredito é na rapaziada
Que segue em frente e segura o rojão
Eu ponho fé é na fé da moçada
Que não foge da fera e enfrenta o leão
Eu vou à luta com essa juventude
Que não corre da raia a troco de nada
Eu vou no bloco dessa mocidade
Que não tá na saudade e constrói
A manhã desejada

Aquele que sabe que é negro
o coro da gente
E segura a batida da vida o ano inteiro
Aquele que sabe o sufoco de um jogo tão duro
E apesar dos pesares ainda se orgulha de ser brasileiro
Aquele que sai da batalha
Entra no botequim, pede uma cerva gelada
E agita na mesa logo uma batucada
Aquele que manda o pagode
E sacode a poeira suada da luta e faz a brincadeira
Pois o resto é besteira
E nós estamos pelaí...

Eu acredito é na rapaziada
Que segue em frente e segura o rojão
Eu ponho fé é na fé da moçada
Que não foge da fera e enfrenta o leão
Eu vou á luta com essa juventude
Que não corre da raia a troco de nada
Eu vou no bloco dessa mocidade
Que não tá na saudade e constrói
A manhã desejada

Aquele que sabe que é negro
o coro da gente
E segura a batida da vida o ano inteiro
Aquele que sabe o sufoco de um jogo tão duro
E apesar dos pesares ainda se orgulha de ser brasileiro
Aquele que sai da batalha
Entra no botequim, pede uma cerva gelada
E agita na mesa logo uma batucada
Aquele que manda o pagode
E sacode a poeira suada da luta e faz a brincadeira
Pois o resto é besteira
E nós estamos pelaí...

Eu acredito é na rapaziada


E viva o povo do meu Brasil brasileiro!
Viva eu, viva você, vivamos nós, do jeito que der, da maneira que melhor nos aprouver, mas sempre com o velho sorriso malandro no rosto porque um sorriso malandro, meu bom, é capaz de derrubar até as muralhas de Jericó!

Pensamentinho de Cabeceira:
"Eu só peço a Deus um pouco de malandragem
pois sou criança e não conheço a verdade
eu sou um poeta e (tô aprendendo) a amar"...
(Com licença, Cássia eller, mas eu, malandra, mexi na sua música, rs)

11 comentários:

Lis. disse...

Olá Sammyra...

Lendo o que postaste lembrei que certa vez fui assistir o show do Gonzaguinha na faculdade. o auditório estava lotado de estudantes, e a falação corria solta no meio de nós. em um dado momento o show começou, e o pessoal ainda não estava em silêncio completo.

Sei que esse Gonzaguinha parou com o espetáculo e deu o maior esculacho na rapazeada: "Olha gente, eu estou aqui com a maior dor de cabeça, quase que não vinha fazer o show, e com esse barulho o show não vai continuar, ou vocês ficam quietos, ou o show não continua..."

Enfim a banda tocou...
A rapazeada calou...
E o cara cantou.

Um pouco depois fiquei sabendo que ele morreu... Também pudera, magro daquele jeito, fumando o tempo todo, fazendo show para uma rapazeada barulhenta com baita dor de cabeça? Só podia... rsr

Uma boa semana Sammyra!

Sarinha disse...

é isso aaiii gemea
sorriso no rosto, firmeza nas decisões.. A gente consegue viver beeem !!
Bjoooo

Babi Mello disse...

Sammyra, oi! sabe qdo leio as músicas que vc posta no seu blog penso que vc é uma garota diferenciada que gosta de ouvir coisas que normalmente pessoas na nossa idade não ouviria e gosto disso sabe porque, faz a gente pensar que o nosso país ainda pode ser representado por pessoas como vc com cultura e com conteúdo, com coisas verdadeiras a dizer.
bjocas!

Lusinha disse...

Essa música era de uma novela, né?
Bjitos!

Dois Rios disse...

Oi, Sammyra! Que bom te-la de volta no Dois Rios. É tanta gente na blogosfera que as vezes deixamos escapar um ou outro, mesmo quando a gente gosta do blog, como é o seu caso.

Concordo com o Gonzaguinha e com você. Temos mais é que segurar o rojão sem perder a alegria e o jeito malandro que o brasileiro tem. Porque é na malandragem (no bom sentido) que muita gente faz milagre para sobreviver.

Beijo,

Mandy Marques disse...

Oiie
.. então, não é de minha autoria não, e não sei de quem é.
Bem escrito demais pra ser escrito por mim! kkkk

beeijos

Flávia Escarlate disse...

É exatamente disso que precisamos. Não tô falando do "jeitinho malandro" que todo brasileiro faz questão de incentivar, enquanto somos mal vistos lá fora. Mas sim dessa rapaziada tão bem cantada pelo Gonzaguinha, que sai da batalha e vai direto pro botequim tomar uma gelada. Precisamos mesmo é sacodir a poeira e fazer a brincadeira, pois o resto é besteira. Tem que ser besteira, ou então enlouquecemos. Adoro o jeito malandro de ser. Não o "jeitinho malandro" Jaborzístico, mas aquele sorrisinho de canto de boca de alguém que parece (veja bem, parece!!) não estar preocupado com nada. "Vamos dando risada que a vida nos chama não da pra
chorar/ A minha oração é bem curta pro santo não entediar/ E vamo que vamo e vamo que vamo!"
Beijos escarlates a você, borboleta! :*

Flávia Escarlate disse...

Deixei um comentário enorme e a janela bugou, tive que fechar... será que foi? aff...
Se não foi, fica só o beijinho escarlate mesmo. :D
Beijos :*

Manu Preta; disse...

Gonzaguinha é maravilhoso!
E malandrinha hein, modificando as músicas de Cássia... hehehehe
tava sumida daqui, mas resolvi dar o ar da graça :)
xêro =*

JIME disse...

"Malandro que é malandro não se aposenta, só tira férias."
Tenha um ótimo fim de semana...
Beijãooooo!!!

B; disse...

Viva quem ainda sabe sorrir ;)