Borboleteando...

. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
A vontade impulsiva de escrever e depois de ver tantos blogs interessantes me levou a criar um também... como borboleta, vou borboleteando por aí, sem saber onde isso vai dar nem onde irei parar... Bons vôos... εïз~*~

. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .

sexta-feira, 26 de dezembro de 2008

FELIZ ANO NOVO!

Eu te desejo
Não parar tão cedo
Pois toda idade
temPrazer e medo...
E com os que erram
Feio e bastante
Que você consiga
Ser tolerante...
Quando você ficar triste
Que seja por um dia
E não o ano inteiro
E que você descubra
Que rir é bom
Mas que rir de tudo
É desespero...
Desejo!Que você tenha a quem amar
E quando estiver bem cansado
Ainda, exista amor
Prá recomeçar
Eu te desejo muitos amigos
Mas que em um
Você possa confiar
E que tenha até
Inimigos
Prá você não deixar
De duvidar...
Quando você ficar triste
Que seja por um dia
E não o ano inteiro
E que você descubra
Que rir é bom
Mas que rir de tudo
É desespero...
Desejo!Que você tenha a quem amar
E quando estiver bem cansado
Ainda, exista amor
Prá recomeçar
Eu desejo!Que você ganhe dinheiro
Pois é preciso
Viver também
E que você diga a ele
Pelo menos uma vez
Quem é mesmo
O dono de quem...
(Frejat)

Vou bater asas e voar por uns dias... deixar a brisa tocar de leve meu rosto, sentir cores, sabores, cheiros e sons, me admirar com o brilho da lua, brincar com as ondas do mar, sorrir alguns sorrisos e encontrar o Coração!

Deixo pois uma caixinha, embrulhada com papel cor-de-arco-íris, desses assim, bem coloridinhos e arrematada com uma fitinha amarelo-cor-do-sol! Quem abrir, vai encontrar uma porção de abracinhos de ano novo e os desejos de um 2009 com luzes de todas as cores enfeitando nossos caminhos!

À cada amigo blogueiro e/ou leitor do Borboleteando, o meu FELIZ ANO NOVO!

Beijinhos e até o ano que vem! ;)

Pensamentinho de Cabeceira:

"Recomeçar…hoje é um bom dia para começar novos desafios. Onde você quer chegar? Ir alto…sonhe alto… queira o melhor do melhor… queira coisas boas para a vida… pensando assim trazemos prá nós aquilo que desejamos"…

(Assim disse o sábio Drummond)

quinta-feira, 25 de dezembro de 2008

A confusão mora em mim...


Oração Para a Vida
O Teatro Mágico
Composição: Gustavo Anitelli

Há manhãs que me trazem o medo
De ter de perto de mim alguém
Quando aos prantos me vejo sozinho
Que sei que aqui no mundo espero alguém
Alguém que...
Que me faça esperar pelo agora
Pássaro canta, a flor floresce ao dia
Bem ouvido para quem acorda o céu
Quantos rostos o acaso me traz
O momento relento da minha oração
Horas são
Horas vão
Horas são
Poeta que brinca de pega-pega
Te busco em minha composição
Tua saudade
Que fosse metade minha
Que me encontrasse
Como as horas encontra o dia
Poeta que brinca com a dona esperança
Por que a vida é o coletivo das horas que são pro dia.
Tem alguma coisa dentro de mim me inquietando, me instigando, me desafiando...
Queria que a vida fosse mais fácil, que tudo seguisse o planejado mas... "a vida é real e de viés", as coisas são mais simples na televisão!
Hunf! Hoje eu estou chata, as palavras flutuam sem nexo em meus pensamentos... nem sei o que escrever, nem sei de nada mais!
quer saber? Vou dormir pra ver se sonho com algumas respostas e na torcida de que "amanhã será um novo dia e certamente eu vou ser mais feliz"...
Boa noite!
Pensamentinho de Cabeceira:
"Minha mente gira, como um ventilador"...
(Titãs)

quarta-feira, 24 de dezembro de 2008

FELIZ NATAL!!!

Deixo de presente de Natal esse poema/cordel que uma vez alguém recitou pra mim e muito me emociona. Feliz Natal a todos os amigos blogueiros e/ou leitores do Borboleteando!

Carta ao Papai Noel
(Poeta, cordelista e violeiro Luiz Campos)
Seu moço!
Eu fui garoto infeliz na minha infância
que soube que fui criança,
mas pela boca dos outros.
Só brinquei com gafanhoto
que achava no tabuleiro,
debaixo do juazeiro
comia as vacas de osso.
Essas que atrevai seu moço,
que se arranja sempre.
Quando eu vi um gurizinho brincando de velocípede,
de caminhão e de jipe,
de bola, revólver e carrinho.
Sentia dentro de mim desgosto que dava medo.
Ficava chupando dedo
e chorando o resto do dia
só porque eu não podia
pegar naqueles brinquedos.
Mas perguntei uma vez ao filho de um doutor,
dizendo faça um favor
quem é que dá isso a você?
E respondeu logo uns três: isso aqui é os presente
que a gente que é inocente,
vai dormir, às vezes nem nota,
isso é Papai Noel que bota
perto do berço da gente.
Fiquei naquilo pensando
até o Natal chegar.
E na noite de Natal eu fui dormir me lembrando.
Acordei e fiquei caçando
por onde eu tava deitado.
Seu moço eu fui enganado!
Que do presente que tinha,
de mijo era uma pocinha
que eu mesmo tinha mijado.
Saí com a bexiga preta
caçando os amigos meus.
Quando eles mostraram pra mim caminhão, carro, carreta,
bola, revólver, corneta
e trem elétrico até, boneca, máquina de pé.
Mas não brinquei, só fiz é ver
e resolvi escrever
uma carta à Papai Noel.
Papai Noel, é pecado
os outros me maltratarem?
Mas eu vou lhe reclamar um troço que está errado.
Que os filhos dos deputados
você dá tanto carrinho,
mas você é muito ruim
que lá em casa não vai.
Por certo não é meu pai
e nem se lembra de mim.
Já estou certo que você só balança o povo seu.
Um pobre que nem eu,
você vê faz que nem vê.
E se você vê porque na minha casa não vem?
O rancho que a gente tem é pequeno, mas lhe cabe.
Será que você não sabe
que pobre é gente também?
Você de roupa encarnada, colorida, bonitinha,
nunca reparou que a minha
já está toda remendada.
Seja mais meu camarada
para eu não chamá-lo de ruim.
Para o ano que vem faça assim:
dê menos aos filhos dos ricos,
de cada um tire um tico
e traga um presente pra mim.
Meu endereço eu vou dar,
da casa que eu moro nela.
Resido numa favela
que você nunca foi lá,
mas quando você chegar,
que avistar uma palhoça
coberta com lona grossa
e dois buracão bem grande e uma porta velha.
Pode bater que é a nossa!
Pensamentinho de Cabeceira:
"Então é Natal...
e o que você fez?"
(Simone)

terça-feira, 23 de dezembro de 2008

Festival de Selinhos!

Minhas queridas e meus queridos, como amanhã é Natal e nem sei se posto, vim desde hoje trazer um saco cheio de selinhos pra distribuir com todo mundo que vier me visitar!
Desejo-lhes um Natal de luz, paz e bem! Que Jesus Cristinho possa renascer dentro de cada um de nós e que nossa premissa maior seja o amor fraterno!

Tudo de melhor nesse Natal!

Beijo bem grandão!

Aproveitem os selinhos:












Ganhei do Jime!!










Ganhei da Tacii!!







Ganhei da Lelah!!























Ganhei da Carol do Rio! Tããão Bom!








Pensamentinho de Cabeceira:
FELIZ NATAL A TODOS!

Olha eles aqui: a Menina e o Coração


Por Que a Gente é Assim?
Cássia Eller
Composição: Cazuza / Frejat / Ezequiel Neves

Mais uma dose?
É claro que eu estou a fim
A noite nunca tem fim
Por que a gente é assim?
Agora fica comigo
E não desgruda de mim
Vê se ao menos me engole
Não me mastigue assim
Canibais de nós mesmos
Antes que a tetra nos coma
Cem gramas, sem dramas
Por que a gente é assim?
Você tem exatamente
Três mil horas
Pra parar de me beijar
Você tem exatamente tudo
Pra me conquistar
Você tem exatamente
Um segundo pra aprender a me amar
Você tem a vida inteira
Pra me devorar...
Mais uma dose?
É claro que eu tô a fim
A noite nunca tem fim
Por que a gente é assim?
A Menina caminhava devagarinho pelas ruas anoitecidas, segurando com o máximo de cuidado aquele pequeno pacote, carinhosamente preparado e embrulhado por ela. Escolhera o papel mais bonito: azul celeste, com pequeninas nuvens espalhadas e, para arrematar, um laço de fita cor-de-arco-íris, desses assim, bem coloridinhos.
-Será que o Coração irá gostar? Qual será sua reação ao abrir o presentinho? Feliz ficará? Sorrisos dará? - a Menina, ansiosa como era, se perguntava, enquanto abraçava o embrulho.
No meio do caminho, encontrou flores (rosas amarelas) e decidiu colher algumas. Por conta disto, coloridas borboletas resolveram juntar-se a ela nesta caminhada (não sei se atraídas pelo cheiro das rosas, pela fita cor-de-arco-íris ou se pelo barulhinho que saía de dentro de um peito ávido pela magia do encontro.
Sentado à beira do lago, já estava o saudoso Coração. Sorrisos, abraços e afagos trocados e, de mãos dadas, sentaram-se onde antes estava apenas um, ou ainda, como diria o Coração, onde estava apenas metade e agora chegara a outra metade para tornar o inteiro!
Mordendo nervosamente o cantinho da boca, a Menina entrega, meio envergonhada a caixinha. O Coração fica um tempão só admirando o embrulho, mergulhado na fitinha colorida em meio ao céu de nuvens branquinhas. "Ela sempre pensa em tudo!" - pensou.
Foi abrindo devagarinho... primeiro a fita, depois o papel para, só então, e aos pouquinhos, tirar a tampinha. Os olhos do Coração brilharam diante de tamanha surpresa: de dentro da caixa saltaram muitos, muitos beijinhos que invadiram todo o seu ser! Os mais carinhosos, os mais calorosos, os mais estalados, os beijinhos que só poderiam ter um único destinatário: o único e verdadeiro AMOR!
Então, apontando para cima, o Coração apontou o presente da Menina: a lua imponente a brilhar num céu de estrelas. Lua esta que, entre flores e borboletas, testemunhou a mistura de corpos, energias, almas, sentimentos, Menina e Coração!
Pensamentinho de Cabeceira:
"Quanto mais desejo um beijo seu,
muito mais eu vejo gosto em viver, viver"...
(Djavan)

domingo, 21 de dezembro de 2008

Eu acredito em fadas!


Tão Bem
Jota Quest
Composição: Lulu Santos


Ela me encontrou
Eu tava por aí
Num estado emocional tão ruim
Me sentindo muito mal...
Perdido, sozinho
Errando de bar em bar
Eh!Procurando não achar
Oh! Yeah!...
Ela demonstrou tanto prazer
De estar em minha companhia
Eu experimentei uma sensação
Que até então não conhecia...
De se querer bem
De se querer quem se tem...
E ela me faz tão bem
Ela me faz tão bem
Que eu também quero
Fazer isso por ela


A partir de agora, fica dito, por decreto, que eu acredito em fadas, duendes, papai Noel, coelho da Páscoa, no pote de ouro no fim do arco-íris, no sítio do Pica-pau Amarelo, no tapete do Aladin e na lâmpada maravilhosa do Ali-Babá.
Desde então, creio em todos os contos de fadas, nas princesas e príncipes, nos reinos encantados e na casinha de doces e chocolates do João e Maria.
Explicito pois, que num dia poderei ser a Dorothy, no outro Alice, no outro Cinderela, no seguinte Chapeuzinho, Bela, Jasmin, Ariel, Emília, Narizinho ou quem sabe Sammyra, desde que assim meu humor me permita.
E que fique bem claro que a meta fundamental a ser cumprida (e o não cumprimento desta ocasionará sanções duríssimas) será a de que serei feliz pra sempre, TODOS OS DIAS!
Gente, a Bru me passou esse desafio da página 161. Lá vai:
1. Agarrar o livro mais próximo.
2. Abrir na página 161.
3. Procurar a 5.ª frase completa.
4. Colocar a frase no blog.
5. Não escolher a melhor frase nem o melhor livro!!! Utilizar mesmo o livro que estiver mais próximo.
6. Passar a 5 pessoas
O livro que tá perto de mim agora se chama "É Agora ou Nunca", da Marian Keyes.
A quinta frase que tem lá na página 161 é: "-Ótimo! - e Thomas estalou os lábios de satisfação".
hihihihihi! Que sem noção! =P
Passo pra quem quiser brincar!
Pensamentinho de Cabeceira:
"É fácil culpar os outros mas a vida não precisa de juízes a questão é sermos razoáveis".
(Jota Quest)

sábado, 20 de dezembro de 2008

Retrospectiva...

Sutilmente
Nando Reis
Composição: Nando Reis e Samuel Rosa


E quando eu estiver triste
Simplesmente me abrace
Quando eu estiver louco
Subitamente se afaste
Quando eu estiver fogo
Suavemente se encaixe
E quando eu estiver triste
Simplesmente me abrace
E quando eu estiver louco
Subitamente se afaste
E quando eu estiver bobo
Sutilmente disfarce
Mas quando eu estiver morto
Suplico que não me mate, não
Dentro de ti, dentro de ti
Mesmo que o mundo acabe, enfim
Dentro de tudo que cabe em ti

Oba! Oba! Mais pessoas vão me mandar cartões-postais! Ai que felicidade! Adorei! Quero mandar beijo pra cada um e também mandar um beijão especial à Tayla que dedicou um post no blog dela pra campanha "Um cartão-postal para Sammyra"! kkkkkkkkkkkkkkkkk! E a campanha continua, hein? ;)

Hoje eu vim aqui foi falar sobre o valor das coisas simples na vida da gente... Este ano, graças a Deus, pude enxergar um bocadinho desses presentes especiais, alguns deles relatados aqui no blog em postagens anteriores...

Quem vem me acompanhando háum tempinho deve lembrar da história do flautista solitário, que, com o som de sua flauta tocou meu coração, o da moça também sozinha sentada na escadaria do prédio em frente e o de sabe lá mais quem passasse por aí...

Teve também aquele dia em que me perdi na serra, com minha tia, e caiu o maior pé-d'água, lembram? E logo após veio um arco-íris imenso (imaginem o tamanho do meu sorriso, rsrsrs) e eu fiquei lá em meus devaneios, sonhando que era a Dorothy do Mágico de Oz, tsc, tsc...

Falando em arco-íris, teve outro dia que ia dirigindo, sem direção, só pra pensar na vida, e ganhei de presente dos céus um pedacinho de arco-íris, que, tenho certeza, estava lá só pra que eu visse (eita presunção, hahaha)!

E aquele dia em que sentei no banco da praça e pude observar crianças e velhinhos e namorados e namoradas ali, numa mistura de energias extremamente do bem? Nossa, foi o máximo...

Agradeço aos céus por ter feito eu enxergar cada maravilha dessas e ter reafirmado minha crença de que o verdadeiro sentido da felicidade está em tornar tudo simples assim, como a vida deve ser! Sei que outros tantos presentes devem ter passado despercebidos pelos meus olhos e sentidos, então rogo a Deus que me dê oportunidade de fazê-lo nesse ano que virá!

Beijos com cor-de-arco-íris, desses assim, bem coloridinhos! ;*

Pensamentinho de Cabeceira:

Que cor? Que gosto? Que cheiro terá um pensamento?

(Sammyra Santana)

sexta-feira, 19 de dezembro de 2008


Lento, mas vem
(Mario Benedetti)


O futuro se aproxima
devagar,
mas vem

já se vai aproximando
nunca tem pressa
vem com projetos
e sacos de sementes

com anjos maltratados
e fiéis andorinhas

devagar
mas vem
sem fazer muito ruído
cuidando sobretudo
os sonhos proibidos.


Eita pessoas, a única que se manifestou em me mandar um cartão-postal pra aumentar minha coleção foi a Tayla, ninguém mais! Arfe! Continuarei então com o projeto "Um cartão-postal para Sammyra"! huahauhauahuahauhauha!
Hoje eu dei de sentir saudade. Humpft! E, como eu digo, digo e digo: saudade é um negócio que dói e faz lágrima sair do olho...
Tô com saudade! Como faz? Pra falar a verdade, eu sei como faz, e vou resolver isto loguinho!
Só que agora vou ali, dormir um tiquinho e sonhar... sonhando eu chego mais perto, sonhando eu crio asas e posso voar até onde meu coração está!
Boa noite...
Pensamentinho de Cabeceira:
"Os vencidos agora
serão os vencedores de amanhã.
E o hoje nascerá do jamais".
(Bertold Brecht)

quinta-feira, 18 de dezembro de 2008

"Qual é a coisa mais importante da vida? Se fazemos esta pergunta a uma pessoa de um país assolado pela fome, a resposta será: a comida. Se fazemos esta mesma pergunta a quem está morrendo de frio, então a resposta será: o calor. E quando perguntamos a alguém que se sente sozinho e isolado, então certamente a resposta será: a companhia de outras pessoas.
Mas, uma vez satisfeitas todas estas necessidades, será que ainda resta alguma coisa de que todo mundo precise? Os filósofos acham que sim. Eles acham que o ser humano não vive apenas de pão. É claro que todo mundo precisa comer. E precisa também de amor e cuidado. Mas ainda há uma coisa de que todos nós precisamos. Nós temos a necessidade de descobrir quem somos e por que vivemos".
(Jostein Gaarder - O Mundo de Sofia)
Quem acompanha o Borboleteando há algum tempo pode perceber a minha constante busca pelo auto-conhecimento, por tentar compreender as coisas que há em mim, esse turbilhão de sentimentos que me invadem muitas vezes sem nem eu querer.
Neste ano de 2008 eu consegui me compreender mais, me aceitar mais e, consequentemente, gostar mais de mim. Mas continuo ainda nesta busca constante por conhecer quem realmente sou, o que realmente quero pra mim e, principalmente, o que danado eu vim fazer aqui nesse mundão de meu Deus (qual é minha missão aqui).
Penso que cada um de nós não está aqui nesse mundo por acaso. Nem é por acaso que esbarramos uns nos outros. Veja bem, você que está me lendo agora e não me conhece pessoalmente, olha só que coisa louca! Nunca nos vimos, provavelmente nunca nos veremos pessoalmente, mas aqui estamos, conversando, interagindo, participando um da história do outro... será que é mero acaso? Acredito que não. Eu tinha que estar aqui, neste momento escrevendo justamente sobre isto e você, aí lendo. Você poderia estar fazendo mil coisas, existem incontáveis blogs, mas você está justamente aqui, na minha casa virtual, saboreando minhas palavras e, talvez, deixando suas impressões, para que eu possa saborear também. Isto é mágico! Quantas coisas importantíssimas temos aprendido lendo uns aos outros, quantos recadinhos trocados, quantos conselhos dados... Isto, definitivamente, é mágico!
Pensemos nisto...
Abraço bem apertado (adoro abraço, é troca de energia!)
Ps.: Ariana, vou cobrar o postal, viiiu? Aliás, quem aqui quer me mandar um cartão-postal pra aumentar minha coleção? hein? hein? hein? prometo que retribuo com um daqui! :)
Pensamentinho de Cabeceira:
"...não podemos entrar duas vezes no mesmo rio. Isto porque, quando entro pela segunda vez no rio, tanto eu quanto ele já estamos mudados".
(Jostein Gaarder - Tô pensando seriamente em reler o Mundo de Sofia...)

quarta-feira, 17 de dezembro de 2008

Findi...

Você Me Faz Continuar
Nando Reis
Composição: Indisponível


As vezes eu acho que o mundo inteiro se revoltou contra mim
Sem nenhum porquê, eu viro a mesa, parece ser o fim
Mas quando me lembro que tenho você eu procuro me acalmar
Isso me consola e tudo melhora e a cabeça volta pro lugar
Eu sei faz tanto tempo
Passamos por muitos momentos
Saber que tenho você me faz...
Me faz continuar
As vezes eu acho que o mundo inteiro esconde o jogo de mim
Eu olho pro lado, estou deslocado, parece ser o fim
Mas quando você sabe o que me dizer... Como pode ser tão natural?
Em um instante, mesmo distante, a cabeça volta ao normal
Eu sei faz tanto tempo,
Passamos por muitos momentos,
Saber que eu tenho você me faz...
Me faz continuar



E chegou o fim do ano! Como diz minha vó, mês meado, mês acabado! E final de ano, assim como o final de tudo, ocasiona em mim uma certa depressão... Sou apegada a tudo no mundo, tenho dificuldade seríssima em me despedir e um certo medo do novo!
Tá certo, tá certo, eu sei que o dia 1º de janeiro será apenas um dia após o 31 de dezembro, mas o que posso fazer? Essa coisa meio mágica, meio mística e totalmente cultural ainda está introjetada em mim! Eu queria me convencer que o tal espírito do Natal era pura invenção de Charles Dickens, mas fui envolvida (ou me deixei envolver?) por esta atmosfera de fim de ano...
Preciso confessar uma coisa (até pra me libertar dela): até dia desses eu tinha medo de fazer planos, pq achava que se os fizesse eles nunca iriam se realizar! então eu meio que me boicotava! Mas agora não, vou fazer tudinho diferente! Farei uma listinha de desejos que pretendo realizar neste ano de 2009, mas com a leveza de que, se não der, terei 2010, 2011, 2012, dois mil e... até quando eu viver pra conseguir. O que importa é ter uma idéia na mente, um sorriso no rosto e muito amor no coração!
Que essa coisa meio mágica, meio mística e totalmente cultural que envolve o Natal possa envolver cada um de nós e traga dias felizes e com cor de arco-íris desses bem coloridinhos!
Paz, Bem e Luz!
Pensamentinho de Cabeceira:
"Sou só metade se você é meu par"...
(Nando Reis)

segunda-feira, 15 de dezembro de 2008

Doce de Pimenta
Rita Lee
Composição: Rita Lee - Roberto de Carvalho


Cada um vive como pode
E eu nasci pra sofrer
Cara feia pra mim é fome
Eu não faço manha pra comer não!
A vida é como uma escola
E a morte é um vestibular
No inferno eu entro sem cola
Mas o céu eu vou ter que descolar
Mas quando alguém
Precisa de um carinho meu
Não há nada que me prenda
Mas se eu sentir que um bicho me mordeu
Sou mais ardida que pimenta!
No fundo eu sou otimista
Mas sempre imagino o pior
Me cansa essa vida de artista
Mas cada vez o prazer é maior
Mas quando alguém
Precisa de um carinho meu
Não há nada que me prenda
Mas se eu sentir que um bicho me mordeu
Sou mais ardida que pimenta!



Gente, ainda na correria, mas passando aqui para agradecer de todo coração as vibrações positivas de cada um de vocês! Vim dizer que deu tudo certo, o evento foi um sucesso, os palestrantes vieram e deram contribuições riquíssimas acerca dos Direitos Humanos, dos direitos das crianças e adolescentes, do papel das ongs aqui na região... nossa, foi maravilhoso! Queria cada um de vocês lá, pra ouvirem aquelas pessoas tão preparadas falando pra nós! Quem mandou eu morar longe, hein? rs
Vim aqui falar do valor da amizade! Graças a Deus tenho amigos interessados em mim e não naquilo que eu tenho ou posso oferecer! E eles chegam nas horas mais precisas, me ajudam sem que seja necessário eu solicitar, me fazem rir e me emocionam com gestos de carinho e afeto. Um viva aos amigos! (Um viva a vocês, meus amigos blogueiros, que me desejaram tanto bem no post anterior!)
Pensamentinho de Cabeceira:
"Meu amor é tão urgente!"
(Rita Lee - adooooooooooro!)

terça-feira, 9 de dezembro de 2008

O Evento!

Meus queridos e queridas, eis que a semana do evento chegou e meus dias serão uma correria sem fim! Mas tudo dará certo! Torçam por nós e quem for daqui da região e se interessar, ainda dá tempo se inscrever! Procurar Karen ou Larissa na Faculdade de Direito da URCA, ou Viviane na FAP.
Divulgando então:
I SEMINÁRIO REGIONAL SOBRE DIREITO E CIDADANIA
(Aula inaugural da Especialização em Direito e Política da Infância e Juventude)
Data: 12 e 13 de Dezembro de 2008.
Horário: Dia 12, início às 18 horas e dia 13, início às 8 horas
Local: Auditório do Hotel Verdes Vales
Inscrições: FJN (vide a programação no site )
Dúvidas, favor entrar em contato: Sammyra (88) 9207 2729
Ps.: Quero agradecer ao meu amigo Beto Fernandes, do blog do Juazeiro, que gentilmente me entrevistou para divulgar o Seminário em seu programa de rádio! Muito obrigada, de coração, Beto!
Pensamentinho de Cabeceira:
"A legislação não pode permanecer à margem das mudanças sociais."
(William J. Brennan)

domingo, 7 de dezembro de 2008

Mais uma de amor envolvendo a Menina e o Coração...

Só por Hoje
Legião Urbana
Composição: Renato Russo


Só por hoje eu não quero mais chorar
Só por hoje eu espero conseguir
Aceitar o que passou o que virá
Só por hoje vou me lembrar que sou feliz
Hoje já sei que sou tudo que preciso ser
Não preciso me desculpar e nem te convencer
O mundo é radical
Não sei onde estou indo
Só sei que não estou perdido
Aprendi a viver um dia de cada vez
Só por hoje eu não vou me machucar
Só por hoje eu não quero me esquecer
Que há algumas pouco vinte quatro horas
Quase joguei a minha vida inteira fora
Não não não não
Viver é uma dádiva fatal!
No fim das contas ninguém sai vivo daqui mas
-Vamos com calma !
Só por hoje eu não quero mais chorar
Só por hoje eu não vou me destruir
Posso até ficar triste se eu quiser
É só por hoje, ao menos isso eu aprendi


No relógio da Igrejinha soavam as cinco badaladas e a menina viu-se atrasada. Seus passos acompanharam o ritmo acelerado dos batimentos do coração. Um sorriso estampava o rosto e, ao dar um esbarrão na senhora repleta de compras, soltou uma gargalhada, seguida de um abraço e um beijo na bochecha gorda da mulher, estupefata:
-Você não sabe, querida senhora! Estou indo encontrar o Coração! E estou atrasada! - então saiu numa carreira disparada, lembrando ainda, do meio do quarteirão em voltar o rosto pra trás e gritar, às gargalhadas, um sonoro: "Desculpa pelos pacotes derrubados!"
Chegou ofegante ao local marcado, onde um impaciente Coração caminhava para lá e para cá, a olhar o relógio de dez em dez segundos. Abraços. Beijos. Palavras sussurradas aos ouvidos.
Sentaram-se à mesinha mais discreta, aquela que ficava no cantinho da esquerda e tinha uma flor de plástico dentro de uma garrafa de vinho vazia. Deram as mãos, seus olhos se encontraram e o tempo pareceu parar naquele fim de tarde. Nada fora dito, balbuciado, sussurrado... apenas aqueles olhares e sorrisos expressavam todas as palavras, principalmente aquelas que ainda não foram inventadas para exprimir tamanha sensação de afeto e cumplicidade que ali existia.
Por mais que tivessem escolhido a mesinha mais desprezada e escondida, aquela atmosfera de carinho acabou por afetar o lugar inteiro... A moça da mesa em frente parou com sua rosquinha no ar, embevecida com aquela troca de energia; o rapaz da mesa três comprou um bolinho em forma de coração para dar à sua amada e a senhora sentada próximo à janela (sim, a mesma do esbarrão) encheu os olhos d'água, lembrando do amor d'outrora e compreendendo perfeitamente tudo que ali acontecia. Ah, como ela entendia... tanto que saiu dali e passou na floricultura. Levou o mais belo ramalhete para colorir e perfumar o túmulo onde jazia seu coração...
Pensamentinho de Cabeceira:
Ai, ai
Vai ver é só você
Ai, ai
Vai ver é só você querer
Distante, imaginar
Caberia a quem dizer:
"Amor, eu vivo tão sozinho de saudade"
(Marcelo Camelo)

sábado, 6 de dezembro de 2008

Desafio Musical...

Somos Quem Podemos Ser
Engenheiros do Hawaii
Composição: Humberto Gessinger


Um dia me disseram
Que as nuvens
Não eram de algodão
Um dia me disseram
Que os ventos
Às vezes erram a direção
E tudo ficou tão claro
Um intervalo na escuridão
Uma estrela de brilho raro
Um disparo para um coração...
A vida imita o vídeo
Garotos inventam
Um novo inglês
Vivendo num país sedento
Um momento de embriaguez...
Somos quem podemos ser...
Sonhos que podemos ter...
Um dia me disseram
Quem eram os donos
Da situação
Sem querer eles me deram
As chaves que abrem
Essa prisão
E tudo ficou tão claro
O que era raro, ficou comum
Como um dia depois do outro
Como um dia, um dia comum...
A vida imita o vídeo
Garotos inventam
Um novo inglês
Vivendo num país sedento
Um momento de embriaguez...
Somos quem podemos ser...
Sonhos que podemos ter...
Um dia me disseram
Que as nuvens
Não eram de algodão
Sem querer eles me deram
as chaves que abrem essa prisão...
Quem ocupa o trono
Tem culpa
Quem oculta o crime
Também
Quem duvida da vida
Tem culpa
Quem evita a dúvida
Também tem...



A Carol me passou um Desafio Musical. Como tô cansadinha, precisando espairecer um pouco, vou brincar com as letras das músicas pra dizer coisas de mim...
Divirtam-se, como eu me divertirei! Ah, e repasso pra quem quiser fazer! =) Só 4 pessoas é muito pouco, rs! E quem topar, lembre de me avisar rpa eu ir lá ver, certo?

Lá vai:

I. colocar uma foto individual nossa;
II. escolher uma banda/artista;
III. responder às questões somente com títulos de canções da banda/artista escolhido;
IV. escolher 4 pessoas que respondam ao desafio, sem esquecer de avisá-los.

A foto:
Artista escolhido: Chicas!!!
Respostas com títulos de canções das Chicas:
ȃs homem ou mulher?
Gatas Extraordinárias (huahauhauahauhaua)
»Descreve-te:
Divino maravilhoso (huahauhauahuahau - me acho)
» O que as pessoas acham de ti?
Moleque
»Como descreves o teu último relacionamento:
Me deixa
»Descreve o estado atual da tua relação:
Felicidade
»Onde querias estar agora?
Namorar
»O que pensas a respeito do amor?
Você
» Como é a tua vida?
Minha Missão
»O que pedirias se pudesses ter só um desejo?
Alô, Liberdade!
»Escreve uma frase sábia:
Pára de parar
Como falei, indico pra quem quiser brincar!
Beijinhos, e bom fim de semana!
Ps.: Aliiiiiiiiiiine, tão bom você dar notícias! Muito, muito obrigada pelas fotos de borboletinhas! Ameeei!
Ps².: Pra quem não sabe, foi Aline quem fez essa montagem linda da foto do perfil!
Ps³.: Pra quem não conhece, Aline trabalhou comigo um monte de anos no colégio e hj nem eu, nem ela trabalhamos mais lá! E ela é a mamãe linda da Thialy e de um bebezinho(a) que vem por aí! \o/
Pensamentinho de Cabeceira:
"Sou teu gesto lindo...
sou teus pés...
sou quem olha você dormindo...
ô menina... eu guardo você comigo"...
(O Teatro Mágico)

quarta-feira, 3 de dezembro de 2008

Soooonha, Alice!

"- Quando eu uso uma palavra - disse Humpty Dumpty num tom escarninho - ela significa exatamente aquilo que eu quero que signifique ... nem mais nem menos.
- A questão - ponderou Alice – é saber se o senhor pode fazer as palavras dizerem coisas diferentes.
- A questão - replicou Humpty Dumpty – é saber quem é que manda. É só isso".
(Trecho de Alice no País das Maravilhas, de Lewis Carroll)


As palavras exercem um poder tremendo na vida das pessoas... Às vezes que acho que Deus tava muito louco na hora em que resolveu nos dar este privilégio de falar. Como pode esse monte de letrinhas juntas, escritas ou faladas, causar tanto rebuliço, tanto estardalhaço, tantos sentimentos diversos. Uma única palavra pode, dependendo da entonação de quem fala, escreve ou até mesmo lê, despertar diferentes interpretações.
O mais interessante é que, em muitas ocasiões, nosso estado de espírito é quem determina a interpretação. Como o Humpty Dumpty disse pra Alice: a questão é saber quem manda.
Tá meio sem nexo, né? Mas eu explico (é que ando meio desconectada do mundo ultimamente - e, segundo alguém ali, extremamente chata). Veja bem:
A professora, vendo que a criança não foi bem na avaliação, decide escrever um bilhetinho, cheio de carinho e preocupação pro seu aluno, bem ali no cantinho, logo abaixo da nota 2,5 do infeliz: "Caro Abelardo, com um pouquinho mais de esforço e dedicação, você conseguirá melhores resultados nas próximas avaliações! Estude mais! Confio em seu potencial!"
Até aí, tudo bem. Só que, quando nosso querido "Abelardinho" recebe a prova e vê o dois e meio, a vista fica logo meio turva, lagriminhas querem escapar dos olhos e ele já lê diferente: "Caro Abelardo, você não estudou foi nada. Ao invés de ficar detonando os jogos no Play3, vá estudar seu vagabundo. Desse jeito você não passa!"
E quando o "Abê" vai, todo se tremendo, entregar a tal nota bombástica pra mãe, que trabalhou feito burra de carga o dia inteiro, ainda trouxe trabalho pra casa, preocupada com as contas, acabando de chegar Às 20h30 estressada com o trânsito? Sabem qual a leitura que esta pobre senhora faz? Lá vai: "Ô Abelardo, você não estudou não, foi, seu porra? Tá pensando que dinheiro nasce em árvore, seu vagal? O que esta fia da mãe dessa professora anda ensinando a você que não aprende nada? Não confio mais é no potencial dela!"
É fogo, né? E a importância fantástica da pontuação? Uma mísera vírgula pode mudar todo o sentido da frase. Veja só que confusão as palavras podem causar na vida de um cidadão:
A faxineira da Sílvia, do quarto andar, acaba de chegar da padaria com a fofoca mais quentinha que o pão! Como não tinha ninguém em casa pra contar, ela resolve deixar um bilhete pra patroa (pq fofoca que é fofoca tem que ser contada ali, na hora, nem que seja através de bilhete). E escreve:
"Dona Silvia, aquela mexeriqueira do quarto andar, traiu o marido com o filho do padeiro!" - Deixou o bilhete colado na tela da televisão e foi pra casa, pensando até se cobraria hora extra pelos dez minutos que passou além do expediente escrevendo o bilhete pra manter a patroa informada dos babados!
Mas, quem chegou em casa primeiro foi o dono da casa, o Carlão. Cansado, sentou no sofá, tirou o sapato, pegou o controle da tv e... opa! O que será aquilo ali? Pegou o bilhete e fumaças saíram pelos seus ouvidos e nariz! Então aquela vadia o estava traindo com o filho do padeiro? Noooossa, nem vou contar o que aconteceu, pq cenas de violência explícita são censuradas neste blog! E tudo por causa de uma virgulazinha depois do mexeriqueira... Seu Carlão nem lembrou que no 403, apto. vizinho ao seu, morava a Lourdinha, uma tremenda mexeriqueira, que se atirava pra cima de tudo que era homem do bairro. Tsc, tsc, tsc...
E as conversas no MSN? O namorado fica online e vai falar com a namorada: "Boa noite!".
Ela, estranhando, já pergunta logo: "O que aconteceu? Você não gosta mais de mim! Tem outra na jogada, né? Pode ir falando, de-sem-bu-cha seu cretino!!!"
O coitado, sem saber do que se trata diz que não faz a menor idéia e a briga começa até, depois de uma hora e meia, ele descobrir que o motivo de tanta irritação foi pq ele falou "Boa noite!" e não "Oi amor!".
Por que eu tô escrevendo sobre isso? Sei lá! É que às vezes acho que se a única linguagem que falássemos fosse a do coração, as coisas seriam bem mais fáceis... Soooonha Aliiiiiceee!!!
As palavras enternecem, acarinham, abraçam, enlevam, sublimam, mas teeem horaaa... tem hora que as palavras fazem um estrago grande! Depende de quem manda!
Pensamentinho de Cabeceira:
"- Podes dizer-me, por favor, que caminho devo seguir para sair daqui?
- Isso depende muito de para onde queres ir - respondeu o gato.
- Preocupa-me pouco aonde ir - disse Alice.
- Nesse caso, pouco importa o caminho que sigas - replicou o gato".
(Trecho de Alice no País das Maravilhas)
Folia No Meu Quarto
O Teatro Mágico
Composição: Fernando Anitelli/Nô Stopa


Se água nos olhos do palhaço molha
Menina dos olhos abandonada
Boneca de pano, de pena, chora.. pano
Água nos olhos da gente escorre
Corre beirando boca, ribeirão
Dorme junto ao coração
Faz do peito cachoeira
Leva, lavando, me deixando leve
Que a certeza não escorregue
Feito pedra de sabão
Bola, vidro, janela, bronca, tapa
Dias e dias sem televisão
Fecho porta pra não escutar briga
E, também, pra briga não escutar minha canção
Que faço distraindo a vida
Vou traindo minha sina
Distraindo decisão
Falo coisas que as vezes não faço
Sou boneca, sou palhaço, ponto de interrogação
Todo ser seria
Todo rio riria
Toda flor folia
Abajour pra escuridão
Toda brincadeira começa com alegria
Mas o sino do almoço troca o riso por feijão
Todo ser seria
Todo rio riria
Toda flor folia
Abajour pra escuridão
Toda brincadeira começa com alegria
Mas o sino do almoço troca o riso por feijão
Quero mais careta no retrato
Quero mais folia no meu quarto
Quero mais careta no retrato
Quero mais folia no meu quarto



Tô sem muito tempo, tenho um evento grande pra organizar junto com outras pessoas, e vai dar tudo certo, aliás, já está dando tudo certo. Torçam por nós! =)
Gente do céu... meu pai do Cristo... e não é que esse ano tá terminando? Pra mim janeiro foi ontem e já chegou foi dezembro!!! Queria entender essa loucura do tempo (lembrei agora daquele coelho da história de Alice, sabem qual é? Aqueeeeeeeeeeeele que ficava estressando a coitada, rsrs)! será que os dias diminuíram ou é o excesso de tarefas que faz a vida passar sem ninguém ver?
Eu hein! Sai pra lá! Eu quero ter tempo sempre pra olhar pro céu e ver como tá a lua, pra procurar arco-íris (desses assim, bem coloridinhos), ter tempo pra dar bom dia, boa tarde, boa noite, tudo isso sempre acompanhado com um sorriso, ter tempo pra conversar com crianças e velhinhos, pra sentir saudades e ligeirinho matar essa danada, pra saborear um sorvete de chocolate, sem pressa, sentindo ele derreter e escorrer pelos dedos, ter tempo pra ver as florzinhas desabrochando no vaso lá fora, tempo pras coisas bonitas! Tudo simples assim... como a vida deve ser!
Agora eu vou dormir e ter sonhos lindos! Promessa é dívida (interna)! rs
Bons sonhos pra quem é de sonho!



Pensamentinho de Cabeceira:
"Borboleta parece flor que o vento tirou pra dançar"
(O Teatro Mágico)